Connect with us

Moto & Gastronomia

5 motivos para experimentar uma cerveja artesanal – Dica Les 3 Brasseurs

A característica principal de uma cerveja artesanal é que atrás de cada uma tem um cervejeiro com uma personalidade própria. Ele quer fabricar um produto perfeito a fim de dividir com o mundo inteiro aquele sabor. Como um chef fazendo centenas de ajustes para achar o tempero certo de um prato, o cervejeiro vai ajustar a…

Publicado

em

Por Thiago Capodanno/VGCOM

1 – Identidade própria

A característica principal de uma cerveja artesanal é que atrás de cada uma tem um cervejeiro com uma personalidade própria. Ele quer fabricar um produto perfeito a fim de dividir com o mundo inteiro aquele sabor. Como um chef fazendo centenas de ajustes para achar o tempero certo de um prato, o cervejeiro vai ajustar a receita dele até chegar na melhor cerveja, na mais surpreendente ou na mais inovadora. Cada cerveja artesanal é o resultado de um desejo de compartilhar qualidade e personalidade, por isso, cada uma tem a sua própria identidade.

2 – Ingredientes nobres

A base de toda cerveja fica em quatro ingredientes: água, malte, lúpulo e levedura. Para cada um desses insumos existem muitas variedades com perfis diferentes e características próprias. Cada ingrediente é bem selecionado para trazer notas sensoriais que vão se harmonizar para um resultado perfeito. Uma levedura muita perfumada para se repousar sobra uma base de malte tostado levemente caramelizado, tudo sublinhado pelo aroma nobre de um lúpulo floral ou frutado. O cervejeiro vai selecionar seus ingredientes com o objetivo de desenvolver um produto único. Portanto ele deve usar os melhores ingredientes: a motivação dele não é quantidade, mas qualidade.

3 – Diversidade

Uma cervejaria artesanal já tem por característica produzir em quantidades menores. Isso dá uma vantagem considerável em termos de flexibilidade e possibilidade para desenvolver novo produtos. Uma cervejaria artesanal consegue usar ingredientes que não poderiam ser usados em quantidades industriais como frutas, temperos, etc. Também o custo das matérias- primas pode ser um pouco mais caro, porque as quantidades serão menores. Assim, pode ser usado maltes especiais um pouco mais complexos, lúpulos mais raros. Disso resulta uma cerveja mais interessante, complexa, para ser degustada do mesmo jeito que um bom vinho ou destilado. Elas dão ao consumidor a possibilidade de descobrir nova sensações com uma profundidade que nenhum cerveja industrial consegue alcançar.

 –

4 – Processo de fabricação

Cada cerveja artesanal é a vontade do cervejeiro de compartilhar seu produto. Por isso, ele vai cuidar de cada etapa de produção de uma maneira quase caseira, se dedicando pessoalmente na produção de cada litro da cerveja dele. Ele também vai fazer o possível para a cerveja chegar com a melhor qualidade ao consumidor. Ele vai, por exemplo, cuidar da embalagem para não estragar a bebida com os UVs ou oxidação; vai cuidar do armazenamento, do transporte; ele não vai filtrar ou pasteurizar se não precisar. Ao tomar uma cerveja bem feita e cuidada desde a brassagem até ser degustada passa-se a notar a diferença em relação as cervejas industriais. Uma distribuição na escala deles não permite ter uma atenção particular para cada garrafa.

 –

5- Cultura

Tomar uma cerveja artesanal é sempre uma aventura sensorial e cultural. Beber uma pale ale inglesa, por exemplo, dá uma visão bem diferente do mesmo estilo produzido nos EUA. Experimentar cervejas especiais de vários países dá essa oportunidade de paladares diferentes, tradições, dá dicas sobre a mentalidade do cervejeiros ao redor do mundo. Uma original pilsner da República Checa, uma Bock alemã, IPA inglesa são alguns exemplos de diferentes histórias que o consumidor pode conhecer por meio de um copo de uma boa cerveja feita de maneira artesanal.

Depois de tantos bons argumentos, só resta ir beber uma cerveja artesanal. Mesmo com muito ainda a se explorar, esse mercado de cerveja artesanal já tem boas opções. Para provar algo diferenciado a dica é o Les 3 Brassseurs, microcervejaria francesa que fabrica e serve a cerveja no mesmo lugar.

E, sim, os franceses sabem fazer cerveja. Desde 2013 quando a primeira filial da rede de microcervejaria francesa Les 3 Brasseurs chegou ao Brasil, mudou-se o conceito sobre a cerveja produzida pelos franceses. Com grande tradição na fabricação da bebida, bastou pouco tempo e bons goles para o sabor peculiar da cerveja originária do norte da França cair no gosto dos brasileiros.

No cardápio, cervejas que conquistaram prêmios internacionais – um reconhecimento à dedicação e expertise da marca, que tem quase 60 filiais pelo mundo. Além das fixas, são fabricadas também as com edições limitadas.

Junto à produção da cerveja artesanal francesa aqui no Brasil, a casa propõe um cardápio variado com cozinha tipo “brasserie”, com grande influência francesa, mas com “aquele” toque brasileiro: uma cozinha simples e convival. Todos os pratos – petiscos, massas, carnes, sanduíches e flammes – têm sugestão de harmonização com as cervejas.

Inspirado em antigas fábricas francesas, o ambiente é apropriado para reunir os amigos em um bom bate-papo ou a família em um saboroso almoço de domingo. Lustre de cerveja, jornais, barris e fotos antigas são alguns detalhes da decoração. O espaço mais concorrido do brewpub é o beer truck com palmeiras, teto retrátil e um caminhão Ford 1928, transformado em um charmoso bar.

 –

Les 3 Brasseurs

Rua Jesuíno Arruda, 470, Itaim Bibi – São Paulo/SP

Tel: (11) 3167 -4145

www.les3brasseurs.com.br

www.facebook.com/3BBrasil

Instagram: instagram.com/3bbrasil

Funcionamento: de domingo a quarta, das 12h até 00h; quinta das 12h à 01h; sexta e sábado das 12h às 02h

Cartão de crédito: Visa, Mastercard, Cielo, Dinners, Amex

Cartão de débito: Visa, Mastercard e Cielo

Tickets eletrônicos: Ticket, Sodexo, Visa vale, Alelo, Elo (somente em horário de almoço)

Aceita cheque: não

Valet: almoço e jantar R$ 22,00

Capacidade: 250 pessoas

Delivery: não

Som ambiente: sim

Aceita reserva: sim

Wi-fi: gratuito

Mesas ao ar livre: sim

Acesso para deficientes: sim

Atividade para crianças: livros e pinturas

Ar condicionado: sim

Continue Lendo

Pesquisar

Generic selectors
Apenas correspondências exatas
Pesquisar nos títulos
Pesquisar nos conteúdos
Pesquisar nos posts
Pesquisar nas páginas

PARCEIROS

Newsletter

Cadastre-se para receber nossas novidades!

Facebook

Instagram

  • Em tempos de Pandemia, não podemos esquecer “também”, dos #MotoEntregadores !!! Deixe vofe também seu bilhetinho de agradecimento para um moto entregador! Eles merecem! Meu bilhetinho de hoje foi.... Olá 
Moto entregador , como vai?
Obrigada por trazer o remédio até a minha casa!
Obrigada por trabalhar dia e noite para nos atender mesmo em tempos de guerra contra coronavírus!
Lhe deixo um simples presente, um par de luvas, para sua segurança, afinal, nós também nos preocupamos com você! 
Tenha um
Bom dia! 
Um abraço de “longe”, Eliana Malizia #motoentregador #motofretista #motoboy #ObgMotoEntregador #corona #coronavirusbrazil #coronavírusbrasil #coronovirusbrazil #pandemia  #covid_19 #covid19
  • Vamos aproveitar a quarentena e estudar algumas técnicas OFF ROAD para curtir seu próximo role de moto com mais segurança e confiança?  Hoje vamos falar sobre a POSTURA CORRETA! 
Então vamos lá, e quem tiver mais dicas, escreva pra nós! - Os braços devem estar sempre semi-arqueados para controlar melhor a moto e absorver melhor o impacto. - Tronco posicionado à frente.
- Ponta dos pés na pedaleira e joelhos pressionando levemente o tanque, para aliviar a força dos braços. - Olhar sempre para frente. - Quando pilotar em pé, mantenha os joelhos semi-flexionados para melhor absorção do impacto. E nesta postura, o ideal é projetar o tronco ainda mais para frente.
Ah e no vídeo, sou eu, numa Trip, de Yamaha Crosser aprendendo muito com os FERAS  @jorge.negretti @wellingtongarcia21 e @ricardomartins274
  • Quantas vezes me perguntaram “Eliana, QUAL FOI SEU MAIOR DESAFIO EM CIMA DE UMA MOTO”? Sem duvida alguma , meu maior desafio nestes meus 20 anos de experiência,  foi a trilha para chegar no Cânion Espraiado em Urubici. 
Uma trilha de apenas 12km. Difícil , nível Hard!! A trilha me parecia mais um enduro e tão exaustiva que parecia não ter fim, parei , cai, levantei, chorei, pensei em desistir, levantei de novo. Neste meio tempo, aparece @jorge.negretti e @ricardomartins274 do meu lado falando bem alto, “ cara, tá muito escorregadio e com muita pedra pontuda , tá muito difícil de subir”. Bom, se os TOPS PROFISSAS estavam achando difícil , imagina eu? Logo em seguida um colega nosso desistiu da trilha ... poutz! Fiquei mais tensa! Eu, única  mulher ali, e pra mim não fazia diferença alguma , não teria problema algum em desistir , mostrar que fiquei exausta e ir para o carro de apoio. Não tenho este orgulho, mas....tentar até o final é da minha personalidade, não gosto de deixar nada pela metade. Porém, eu tinha um grande SEGREDO ali, guardado só comigo, e não podia contar e nem desabafar com ninguém. Eu estava grávida de uns 40 dias, e não havia contado pra ninguém do grupo. Eu fiquei sabendo um dia antes da viagem, e não podia deixar a yamaha na mão. Parti para a viagem animada, mas confesso que um pouco insegura, eu carregava meu bebezinho. 
Pra quem não sabe, as primeiras semanas de gestação a gente se sente mais cansada e com muito sono. Na verdade eu não me sentia grávida e muito menos mãe , mas eu sabia ali que eu estava sim grávida! 
Eu não sei da onde tirei tanta força pra aguentar a trilha toda! Havia chovido, tinha muita lama, e sei que muitos motociclistas que tentaram seguir/subir até o Cânion, caíram, desistiram, quebraram a moto... poucos conseguem subir! Mas fui até o fim...com o incentivo dos meninos, com a minha força de vontade , e claro, a  Xtz Crosser facilitou a vida, mesmo com pneus não apropriados para uma trilha HARD, a moto é leve ...e isso ajudou muito! Ah, e no próximo post contarei mais sobre o Cânion Espraiado. Que este post sirva como motivação para todos aqueles que não acreditam em si mesmo! 💪
  • Atravessar um RIO , cheio de pedras “extremamente” 
escorregadias, e de moto? Oi? Pensei que fosse pegadinha, mas quando soube que não era, confesso que ADOREI o desafio e clarooooo fiquei super empolgada!!! Sem duvidas uma das melhores  partes da viagem! A 40 km de Cambará do Sul, no Rio Grande do Sul, o Parque Estadual do Tainhas abriga o curioso ‘Passo do S’. Um lajeado natural do rio Tainhas, onde o nível da água é mais baixo e por isso é possível atravessar de carro ou moto. E lá fui eu, de Yamaha Crosser!!!!
A experiência é conhecida como ‘Travessia do Passo do S’ , ah e não posso esquecer de contar - em poucos metros , o Rio vira uma queda de 20 metros de altura, é mole? Não! Mas foi lindo lindo lindo! Amanhã conto sobre a parte da viagem que senti muito medo, tremi, chorei e pensei em desistir... 😉🤪#passodoS #cambaradosul
  • Quem aí já fez uma grande aventura com uma moto de baixa cilindrada? Está semana publicarei dicas para quem quer viajar com suas “motinhos”! Está minha Trip foi Punk é Maravilhosa - varias serras sinuosas, atravessamos rio ( Fotos e vídeos na próxima postagem), fizemos uma trilha HARD no Cânion Espraiado ...total de mais de 2000 km, tudo isso aí com segurança e sucesso, pilotando uma YAMAHA CROSSER 150cc! Quem encara? Foto @idario.cafe #tourdacrosser2019 #TourDaCrosser #TourInterativoCrosser #xtzcrosser #crosser150 #yamahacrosser #onroad #ofroad #foradeestrada #AceleradaParaSerFeliz #Acelerada #Lifestyle #MotoTerapia #mulheresmotociclistas #testride #serradocorvobranco #aceleradas #mulheresaceleradas
  • Vamos viajar sentados no sofá de casa? ASSISTAM a WEBSERIE Tour Interativo CROSSER no canal da @yamahabrasil no YOUTUBE! Foi uma das minhas MAIORES AVENTURAS!  #tourdacrosser2019 #TourDaCrosser #TourInterativoCrosser #xtzcrosser #crosser150 #yamahacrosser #onroad #ofroad #foradeestrada #AceleradaParaSerFeliz #Acelerada #Lifestyle #MotoTerapia #mulheresmotociclistas #testride #serradocorvobranco #aceleradas #mulheresaceleradas
  • Uma vez um “indivíduo” comentou em uma das minhas postagens, o seguinte ... “ você mostra que pilota moto grande, mas se derrubar a moto vai precisar pedir ajuda para um homem né? ”. Eu até agora não entendi o pq do questionamento e mais, qual seria o problema de ter que pedir ajuda para um homem? Aliás, quantos homens aí já precisou de uma força depois de derrubar a moto? Isso só me faz lembrar que já precisei de ajuda sim pra levantar uma moto e foi uma mulher  que me ajudou a levantar ! Só pra constar e lembrar!!! #RespeitaAsMinas #Aceleradas
  • Vídeo/Teaser acelerando a Gold Wing, matéria completa no site www.ACELERADA.com.br
  • A moto é pesada para pilotar? Você não tem medo de cair? Ela não é mais difícil de controlar? Aos medrosos de plantão, já logo aviso… “pilotar a Gold Wing Tour é muito mais fácil do que você imagina”…quer saber tudo? Visite o site www.acelerada.com.br #hondamotos #motoremaza #goldwing #hondagoldwingtour #hondagl1800goldwing #hondagl1800 #hondeiros #hondabrasil #honda #testride #mulheresmotociclistas #mulheresdehonda #testride #acelerada #lifestyle #aventura #adventure #mulheresdeatitudes #empoderadas #onroad #naestrada 
_

Siga-me!

Mais Acessados

HTML Snippets Powered By : XYZScripts.com