Connect with us

Última notícia

Dicas dos melhores livros pra quem gosta de viajar

Publicado

em

Por Eliana Malizia
instagram @eliana.malizia
Quarentena rolando, e muita gente não sabe o que fazer,  que tal viajar na leitura? Saiba que é possível visitar lugares incríveis, viver aventuras inesquecíveis através de uma boa leitura.
Então, segue ai, dica  dos melhores livros pra quem gosta de viajar ( livros que já li).
E você tem dica de livro? Conta pra mim lá no meu instagram @eliana.malizia
  • Cem dias entre céu e mar ( Amyr Klink) Amyr Klink decide atravessar o Atlântico sozinho em um barco a remo e sua façanha transforma-se em livro! Seu objetivo é cruzar de Luderitz, na África, até Costa Brasileira. Para isso, rola muita pesquisa e preparação prévia. Amyr estuda, aprende e repensa minuciosamente seu plano para, meses depois, sair da costa da África indo em direção ao imenso oceano.Durante os 100 dias de viagem acompanhamos o amadurecimento do autor, sofrendo com tempestades, tubarões e solidão. É um livro encantador e muito inspirador!

  • Do for Love ( Letícia Mello)

Letícia mergulha na cultura de 3 países do Sudeste Asiático – Tailândia, Camboja e Vietnã ajudando pessoas como voluntária em projetos comunitários. O projeto que se iniciou como uma busca de si mesma, em um processo de se autoconhecer por meio do “bem ao próximo”, hoje inspira milhares de pessoas pelo mundo.

O livro mostra sociedades e culturas bem diferentes da nossa, as peripécias e os perrengues da vida de viajante na Ásia e uma experiência marcante durante os 6 meses de viagem de Letícia. Indico para qualquer um que queria se inspirar a colocar a mochila nas costas e partir para uma experiência nova e life changing.

  • Volta ao mundo em 80 dias ( Julio Verne)

Essa aventura escrita por Júlio Verne, publicada em 1873, conta as peripécias de um inglês chamado Phileas Fogg. Ele inicia uma jornada de volta ao mundo por conta de uma aposta boba com os amigos feitas num pub em uma noite qualquer. O Sr. Fogg e seu mordomo, Passepartout, vivem altos e baixos ao passar por lugares como Egito, Japão e Estados Unidos.

A narrativa é realmente divertida e as situações vividas pela dupla transformam-se em um ótimo passatempo para o dia a dia ou longas esperas no aeroporto. Indico para sonhadores de carteirinha de qualquer idade.

No cinema: o livro foi transformado em filme e lançado em 2004, incluindo no elenco atores como Jackie Chan e Arnold Schwarzenegger

  • Na natureza selvagem ( Jon Krakauer)

Into the Wild chegou nas livrarias brasileiras com o título Na Natureza Selvagem. A história, baseada em fatos reais, conta a trajetória do recém-formado Christopher McCandless em busca de uma vida menos artificial. Definitivamente um dos melhores livros de viagem que você vai ler.

Vivendo na simplicidade e junto a natureza ele embarca em uma viagem pelos Estados Unidos, tendo em mente o rigoroso Alasca como destino final. A dura jornada é exposta não apenas com os fatos, mas com os sentimentos, pensamentos e dramas do McCandless, transformando uma simples história em uma profunda e complexa narrativa.

Eu particularmente não gostei desse livro, mas tenho uma lista de amigos, e possivelmente leitores, que discordam de mim nesse aspecto. De qualquer forma, é uma boa leitura para os amantes da natureza, pois a beleza descrita é realmente de impressionar.

No cinema: Into the Wild também foi adaptado em um longa-metragem em 2007 e ganhou grande destaque entre filmes do gênero drama.

  • On the Road (Jack Kerouac)

Foi um dos livros de viagem mais marcantes para a geração dos anos 60, especialmente nos Estados Unidos. Os leitores da época (e atuais) foram influenciados pela busca da liberdade e felicidade descrita por Kerouac.

O livro foi inspirado na trajetória real do autor (Sal Paradise) e Neal Cassady (Dean Moriarty) nos EUA e México, em uma época onde sair viajando era muito mais difícil. A história inspira e transpira liberdade junto com uma interessante busca espiritual.

Todos devem ler, afinal não é qualquer livro que marca uma década.

No cinema: On the Road virou filme em 2012 e conta com um brasileiro na direção – Walter Salles.

  • Destemida (Jessica Watson)

Destemida é uma biografia de uma garota australiana de 16 anos que seguiu seu sonho e deu a volta ao mundo de barco. A história é um exemplo a ser seguido, pois não é nada fácil tirar um sonho do papel, e ela o fez.

Esse livro é o mais sincero significado de lição de vida e todos devem ler, ele nos ajuda em diversas partes da nossa vida.

  • Livre: a jornada de uma mulher em busca do recomeço ( Cheryl Strayed)

os 22 anos, Cheryl Strayed, atualmente escritora, achou que tivesse perdido tudo após a morte da mãe, término do próprio casamento e uma infância conturbada. Cheryl entrou em uma extrema situação de desespero e sem nada a perder, tomou a decisão mais impulsiva da vida: caminhar sozinha cerca de 1.770 quilômetros pela costa oeste dos Estados Unidos.

No deserto de Mojave, no sul da Califórnia, atravessando Oregon até o estado de Washington, Cheryl caminhou sem ter experiência em trilhas de longa distância. Mas o objetivo de tudo era se reinventar, se recompor e buscar a própria liberdade de uma vida cheia de tristezas.

Sendo uma história real, o relato de Cheryl captura a agonia, tanto física quanto mental, de sua incrível jornada; E como tudo isso a fortaleceu para ser a mulher que é hoje. Livre é uma história de sobrevivência, redenção e um retrato do que a vida tem de pior e de melhor.

  • A Viagem de Theo ( Catherine Clement)

Esse livro traz uma experiência diferente comparado com os outros citados, ele conta a história de um adolescente, Theo, viajando por vários lugares e conhecendo as mais diversas religiões a procura de uma cura para sua doença.

A Viagem de Theo reúne informações e muitas emoções em uma leitura tranquila e calma, deixando sempre conhecimento a cada folha virada.

Recomendamos para quem tem interesse em conhecer a cultura e religião de diversos lugares, a fé e a base de todas as sociedades!

  • Lugares Distantes: Como Viajar Pode Mudar o Mundo ( Andrew Solomon)

Com olhar perspicaz, o autor analisa os destinos para além do ponto de vista turístico: ele os vê em sua totalidade, com ramificações sociais, políticas, econômicas. Uma parte muito importante das histórias são os personagens, pessoas comuns que servem de ponto de partida para entendermos o contexto do lugar.

O autor também disserta sobre a ideia de empatia durante toda a obra. Para ele, conhecer culturas diferentes é uma forma de combater a ignorância e a intolerância. E viajar muda como nós encaramos os outros e a nós mesmos. 
  • A Estrada Dá Tudo que Você Precisa ( Mirella Rabelo e Rômulo Wolff)

O casal Mirella e Rômulo são famosos no Youtube por compartilharem seu estilo de vida excêntrico: os dois moram em um motorhome (um camper na caçamba de uma pick-up) e viajam mundo afora há mais de três anos.

O livro conta as vivências dos dois pela estrada – dos privilégios aos perrengues – e dá dicas para quem quer seguir um estilo de vida parecido, ou mesmo fazer uma longa viagem de carro. Com tom leve e descontraído, A estrada dá tudo o que você precisa é para ser lido em uma sentada. E não será muito difícil se inspirar pela história: ao detalhar uma vida nômade, o casal desperta um senso de coragem e aventura – e pode até despertar a vontade de largar tudo e cair na estrada! 

  • A caminho do Atacama: Uma viagem de moto até o deserto mais árido do mundo ( Romulo Provetti)

Foram 24 dias de viagem, mais de 10.500 quilômetros e uma moto. Saindo de Belo Horizonte, Rômulo Provetti atravessou Brasil, Argentina e Chile para chegar ao deserto do Atacama.

Além de dividir suas angústias, medos e conquistas durante o trajeto, Rômulo dá dicas e informações práticas para os iniciantes e enfatiza a importância de um extenso planejamento nesse tipo de viagem.

Ilustrada com belas fotos, A caminho do Atacama contagia por seu senso de aventura e consegue transportar o leitor para a garupa de Rômulo. É um prato cheio para quem sonha fazer uma longa viagem de moto – ou qualquer tipo de aventura ambiciosa! 

  •  Viajando com Charley ( John Steinbeck)

Com 58 anos, o vencedor do Nobel de Literatura John Steinbeck decide viajar pelos Estados Unidos, país que acreditava não conhecer mais, para então redescobri-lo.

Junto de seu poodle Charley e a bordo do caminhão (e casa) Rocinante, o autor percorreu o país de leste a oeste durante três meses, de Nova York à Califórnia, atravessando no caminho estados do norte, sul e meio-oeste estadunidense, em uma tentativa de fugir de sua zona de conforto. Foram 16 mil quilômetros pelas estradas americanas. 

A obra é um diário de viagem, mas é também um retrato dos Estados Unidos da década de 1960. O escritor nos põe na estrada junto a ele por seus detalhes, da descrição de cenários esplendorosos às histórias das pessoas que cruzaram seu caminho. Com um olhar bem humorado, nostalgia e um tom de criticidade, Viajando com Charley reúne memórias e impressões de Steinbeck sobre a vida americana – especialmente de pessoas comuns e da classe trabalhadora. 

  • Viajar: Eu Preciso! (Mayke Moraes)

Desapegado e inquieto, o mineiro Mayke Moraes decidiu sair do lugar comum e partiu em um mochilão por 54 países, entre eles Coréia do Sul, Cuba, Bósnia-Herzegovina, Egito e Israel. 

O livro é um compilado das vivências do autor e detalha as aventuras, descobertas, imprevistos, decepções e surpresas que ele experienciou por meses de viagem. Durante esse tempo, Mayke trabalhava até juntar dinheiro suficiente para seguir ao próximo destino. 

Ele conta que chegou a trabalhar como garçom, camareiro e entregador de jornal para bancar sua jornada. Por essas experiências, o autor reforça a ideia de que não é preciso ser um milionário para conhecer o mundo – e ainda dá várias dicas de como fazer uma viagem low cost

 

Continue Lendo

Pesquisar

Generic selectors
Apenas correspondências exatas
Pesquisar nos títulos
Pesquisar nos conteúdos
Pesquisar nos posts
Pesquisar nas páginas

PARCEIROS

Newsletter

Cadastre-se para receber nossas novidades!

Facebook

Instagram

  • O MEU LADO GARUPA!!!! Arraste para o lado para ver a postagem que tá rolando “ garupa é para as fracas? ”. Mas que pensamento pequeno hein? Não sei quem criou este post e nem quero saber... mas fica uma reflexão. Garupas também são motociclistas, são formadores de opinião ( muitas delas  escolhem a moto que o parceiro ou parceira irá comprar). Escolhem o destino, ajudam no percurso, no aviso de um radar. Garupa tem que saber ser garupa e ajuda muiiiito na hora da pilotagem, principalmente nas estradas off. Sem contar que ser garupa também é uma delicia, a gente pode viajar coladinho, aproveitar e olhar mais para os lados e curtir ainda mais a paisagem, beeeem mais que o piloto. Eu sempre incentivo a garupa aprender a pilotar moto , mas se ela não quer , támbem está lindo, porque ser garupa é maravilhoso, o motociclismo é um universo incrível e fraco é quem vê defeito onde não tem, fraco é achar que viajar juntinho de casal é ruim...aí ai ai... deve ser dor de cotovelo ....sabe de nadaaaaa!!! Até eu que amooooooo pilotar, adorooooo ser garupa pra ficar coladinho no maridonnnnn! Galera lokaaaa minha gentemmmm, larga os rótulos e bora pegar estrada...seja como for, de CG, de GS, no piloto, na garupa... seja como for...! Parabéns @filhasdoventoedaliberdade pela postagem!
  • Aposto que muitos proprietários da Harley-Davidson Fat-Boy nao sabe sobre alguma das histórias e lendas sobre o nome da moto.  E aí?
Por que o nome Fat Boy? Primeira versão mais contada é que foi dado este nome por causa das suas dimensões e do ronco “gordo” do motor V-twin. Mas existe uma outra versão ....Bom, todo mundo sabe que nos dias 6 e 9 de agosto de 1945, foi lançado pelos Estados Unidos duas  bombas atômicas sobre as cidades japonesas de Hiroshima e Nagasaki, mas que poucos sabem é que as duas bombas se chamavam Fat Man e Little Boy, e foram lançadas por dois bombardeiros Boeing B-29 – batizados Enola Gay e Bock’s Car. 
E muitos acreditam que  a Fat Boy recebeu este nome em “homenagem” às duas bombas e foi apresentada na cor prata com detalhe amarelos por causa dos aviões ( que tinham estás cores). Tanta coincidência...faz bastante sentindo, mas pelo que pesquisei, acredito que seja uma grande Lenda.
  • Quem aí também adora as coisas mais simples de uma viagem? Como...parar em uma beira de estrada, tomar um caldo de cana ( sem ligar para as calorias), sentir o vento, e não pensar em mais nada... ooooohhhh vidãoooo!! Ok que estou de motão, Harley-Davidson Fat Boy, motorzão 114.... mas muita gente aí sabe que dá pra fazer viagens com motos de baixa cilindrada, basta ter o espírito de aventura na veia e claro, a moto revisada e bem cuidada...a viagem não precisa ser longa, a moto não precisa ser grande, e a parada não precisa ser no melhor restaurante.... alias, nem em restaurante precisa ser...te com pouca grana, leva um lanchinho e seja feliz...fica a dica! E você ? O que mais gosta de fazer nas paradas? Cafezinho? Almoçar? Apreciar paisagem? Conhecer um ponto turístico? Bater papo com Namo? Com amigo?
  • Lá vem mais uma super dica de viagem pra vocês...vou contar só um pedacinho do texto que logo logo estará em destaque no site. “Manhã de sábado, peguei a Rodovia Presidente Castelo branco sentido  Boituva/Iperó....
Entrando em Iperó logo segui uma estradinha simpática cheio de paineiras na beira da estrada e barracas de pastel e caldo de cana. Como maioria dos restaurantes estavam fechados, opa, garanti meu almoço ( ou melhor...meio café, meio almoço...ainda era 11h), fui de coxinha e caldo de cana mesmo. Neste sábado fazia muito, mas muito calor....aproveite para curtir a rede que tinha em uma das paineiras e fiquei por ali curtindo o ventinho e admirando a bela estrada e a super Fat....só pensando no meu destino principal... Ipanema...”. uhuuu... conto logo mais....
  • A pergunta agora vai para vocês... me contam aí a diferença do motor 107 para o motor 114? Qual você prefere?  107 é o suficiente pra você?
  • E qual é a moto da Trip? Ela é grande e forte, mas está um pouco escondidinha...em segundo plano na paisagem.Hehe! Amanhã começo a postar mais uma dica de viagem.... sabiam que Sampa tem Ipanema? #publicidade #harleydavidson #harleydavidsondobrasil #acelerada #aceleradas #harleylifestyle #harleyaddicts #aceleradadeharley #mulheresmotociclistas #mulheresdeharley #harleystyle #mototurismo #mototerapia #dicadeviagem #viagem #turismo #turistando #viajaréviver #motoévida #apaixonadosporharley #apaixonadospormotos #onroad #harleysdesampa #harleysdeminas #harleysdesantos #harleysdosertao #harley #fatboy #softailfatboy #harleydavidsonfatboy
  • Feliz aniversário!! Hoje, dia 12 de outubro, Bel faz seu primeiro ano! ♥️ #felizdiadascriancas #aceleradinha #bel #felizaniversario #1ano #primeiroano #primeiroaniversario #luadebel
  • Instagram Image
  • Avaliei o novo APP JEEP TRILHAS. E....galeraaaaaaa, é o aplicativo que faltava!! São muitas opções de destinos para TODOS carros 4x2 e 4x4 ( não só para clientes Jeep). Ah.... ( e olha que vai servir pra motociclista também hihi). Hoje foi avisado online para a imprensa especializada. Mas tive o privilégio de ser convidada para testar o aplicativo ( na prática e na lamaaaa....clarooooo) antes mesmo de lançarem na midia! Uhuuu!!!! Matéria completa no site! #jeeptrilhas #jeepéjeep #appjeeptrilhas #trilheiros #jeepbrasil #jeepnation #mulherestrilheiras #mulheresaovolante #mulheresjeepeiras #4x4 #mundooffroad #offroad #mulheresoffroad #saianaestrada #jeepcompass #jeepcompasslimited #diesel #4x4diesels #suv #suvlife #naestrada #viagem #turistando #salesopolis #salesopolisadventure #nascentetiete

Siga-me!

Mais Acessados

HTML Snippets Powered By : XYZScripts.com